16.11.09

Turismo sustentável ou sustentado?

Eu voltei para cá porque fui "gentilmente convidada" por Telinha e Carla San para participar de um concurso que está rolando no Ecoblogs. Eles estão a procura de um blogueiro para escrever sobre sustentabilidade.
Elas me avisaram e eu me candidatei.
E mesmo se eu não for escolhida para o cargo, resolvi voltar a escrever um pouquinho sobre a minha experiência com o assunto.

Eu trabalhei com Ecoturismo e Desenvolvimento Sustentável na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Minha função era avaliar os impactos ambientais que os turistas causavam na fauna local. Tinha também uma socióloga responsável por avaliar os impactos do turismo no dia a dia dos moradores da Reserva. E nós trabalhávamos juntas. Foi a primeira vez que trabalhei em conjunto com o aspecto social em uma pesquisa. E foi ótimo!

O título do post refere-se a uma pergunta que tenho feito a mim mesma ultimamente. Porque virou "moda" propagandear turismo sustentável, ecossustentável, ecológico ou palavras correlatas. E como essas palavras são usadas de maneira indevida (para não dizer que são usadas, muitas vezes, com má fé), eu venho aqui dar a minha opinião sobre o que é desenvolvimento sustentável...e o que um turismo sustentável precisa ter para ser considerado como tal.

**Eu não sou a dona da verdade e estas são apenas minhas opiniões pessoais**

A definição mais usada para o desenvolvimento sustentável é (tirada
daqui)

"O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades. Significa possibilitar que as pessoas, agora e no futuro, atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social e econômico e de realização humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um uso razoável dos recursos da terra e preservando as espécies e os habitats naturais."

Simplificando a coisa: é você não ser egoista e sair destruindo tudo por aí sem pensar nas gerações futuras. É encontrar maneiras de utilizar os recursos sem que haja destruição total.

"O turismo sustentável ou ecoturismo pode ser definido como uma forma de turismo voltada para apreciação de ecossistemas em seu estado natural, com a vida selvagem e sua população intactos" (também daqui)

Eu não acredito que ecossistemas e população local mantenham-se intactos na presença de turistas, mas creio na minimização dos impactos.

E muita gente também acredita nesta minimização dos impactos (ambientais e sociais) mas pouco se conhece sobre o assunto. Porque antes de dizer que os impactos são mínimos, é preciso medir estes impactos. E isso é uma das etapas mais difíceis em qualquer projeto de pesquisa.

Na minha modesta opinião, todo e qualquer lugar que se proponha a trabalhar com ecoturismo (turismo sustentável) deve primeiro encontrar formas de medir os impactos ambientais e sociais. E monitorar por muitos anos. Para ter uma idéia bem clara do grau de impacto causado naquela região.

Na Reserva Mamirauá fizemos (e eles ainda fazem) este trabalho de mensurar os impactos. Neste artigo que publicamos temos os resultados de muitos anos de monitoramento ambiental. Claro que ano após ano a metodologia precisa de ajustes. Especialmente porque na Amazônia temos que avaliar tudo no periodo da seca e da cheia.

A minha preocupação é que com a "moda" que se instaurou em dizer que qualquer pousada no meio do mato é ecoturismo e trabalha com desenvolvimento sustentável. Desenvolvimento sustentável vai muito além disso. Requer investimento por parte dos proprietários para minimizar impactos, para buscar metodologias "verdes", que promovam o menor impacto possivel no ambiente...

Antes de pagar um pacote para suas próximas férias, fique atento a tudo. Entre em contato com a pousada ou hotel e faça suas perguntas. Esclareça tudo. Caso contrário você estará sustentando um turismo normal, como outro qualquer (e não tem nenhum mal nisso, desde que você saiba o que está fazendo).


Aqui um video do Ecoturismo no Mamirauá, ainda nos primórdios. A Pousada já mudou muito, mas a idéia do turismo naquela região continua a mesma :-)

6 comments:

Guilherme Mattoso said...

mto bom! fiquei feliz com a sua volta e já estou na torcida pela candidatura no ecoblogs! bjs, gui.

Paula said...

Allineeeeeeeee!
Onde vc esta??? Eu tb sumi, mas quem é vivo sempre aparece :)
Beijo!

Allan Robert P. J. said...

Sabe o que faço? Procuro não visitar os chamados paraísos ecológicos. Mesmo que tenham um projeto que ajude a mantê-los como paraísos, como uma pousada ou coisa assim. Neste caso, possuem sempre uma conta para onde posso mandar alguma ajuda. O que não me impede de visitar parques nacionais e apoiar outros projetos. Safári fotográfico na Africa? Os poucos animais que resistem já não aguentam mais. Melhor mandar alguma graninha...


PS - que bom que você voltou :)

Allan Robert P. J. said...

Alline,

O livro é realmente muito bonito. Trabalho de profissional. -vale a pena comprar.

Um 2010 cheio de realizações, saúde e serenidade pra vocês (agora são dois, né?), na esperança que a família cresça. :)

Beijocas

bittersweet said...

olá!
meu nome é valéria e estou me mudando [sendo mudada, rs...] para tefé e minhas informações sobre a cidade são mínimas.
sei que é abusar da bondade alheia, mas... será que você poderia me ajudar com algumas coisas, algumas impressões além das que eu já vi aqui no seu blog?
muitíssimo obrigada.
=]

Anonymous said...

Hi,

Thanks for sharing this link - but unfortunately it seems to be down? Does anybody here at noncapisconiente.blogspot.com have a mirror or another source?


Thanks,
James